Testemunho de Cura na Sede Goiânia - Nicollas - Fonte da Vida

Os comentários estão fechados.

Testemunho de Cura na Sede Goiânia – Nicollas

Meu nome é Rubiana de Morais Carvalho de Paula. 2014 foi o ano de gigantes na minha vida.

Quando fiquei grávida à primeira vez desenvolveu-se em mim uma hipertensão arterial que permaneceu-se depois do parto.

A gravidez de uma hipertensa é muito complicada e por isso eu adiava a vontade de ser mãe pela primeira vez.

O tempo passou eu meu filho de 8 anos começou a me cobrar a vinda de um irmãozinho. No ano de 2013 na campanha de Elias eu pedi a Deus para que eu engravidasse com segurança e que toda a gestação fosse segura para mim e para o bebê.

Em seguida fiquei grávida e veio a campanha de Daniel. Nela pedi a Deus que me desse um filho perfeito e saudável.

Todos os exames e ultrassons foram feitas e seus resultados foram todos normais, que a criança era saudável e normal.

Durante a gravidez minha pressão permaneceu-se estável e normal, não subiu em nenhum momento. ESSE FOI O PRIMEIRO MILAGRE EM MINHA VIDA.

O Nicollas nasceu no dia 24 de fevereiro de 2014 com 34 semanas, 2 Kg e 46 cm.

No dia seguinte ao seu nascimento veio a notícia de que ele tinha um “soprinho no coração” e com isso havia uma suspeita de que ele teria algumas características muito leves da Síndrome de Dow.

Não aceitamos essa possibilidade porque não havia nenhum diagnóstico nesta direção durante a gravidez. Para nós essas possibilidades eram impossíveis de serem verdadeiras.

Com sete dias de nascido fizemos o ecocardiograma e o resultado foi alarmante: má formação no coração – Tetralogia de Falot. Meu filho saiu da sala de exames já com receita médica de propanolol.

Sua previsão de vida era de um ano de idade. Ele não sobreviveria sem uma cirurgia cardíaca.

Deus agiu em nossa direção e nos colocou com um cardiologista pediatra chamado Dr. Carlos César que nos explicou todo o processo e nos informou que a cirurgia que ele passaria seria de alto risco e que por isso não haveria possibilidade nenhuma de ser realizada em Goiânia, seu destino seria São Paulo. Essa notícia nos deixou mais alarmados ainda.

O cardiologista nos informou que a grande causa desta má formação seria a Síndrome de Dow e que, apesar dele não possuir as características físicas que definem essa doença, ele pediria o exame para confirmar.

Em seguida fomos fazer o teste da orelhinha. Ele não passou no teste, não havia resposta a nenhum estímulo em seu ouvido. O exame deveria ser repetido em 40 dias.

O resultado do cariótipo saiu e veio a confirmação: o Nicollas tinha Síndrome de Dow.

Foram os piores dias da minha vida. Fiquei desesperada, triste, inconsolada e inconformada. Meu filho não nascera nem normal e nem saudável. Não há palavras suficientes para descrever o turbilhão de sentimentos e sofrimento pelos quais passei.

O teste da orelhinha foi realizado novamente e o resultado não mudou. Meu filho não escutava.

A partir de sua primeira semana de vida eu levei o Nicollas na igreja e entreguei-o no altar dos milagres todos os domingos. Eu pedi a Deus que operasse milagres na vida do meu filho.

Com meu sofrimento veio a ajuda do casal apostólico de nossa igreja. A nossa amada bispa começou a me acompanhar, a orar comigo e me ajudar a passar por aquele processo tão doloroso.

O apóstolo orou conosco e declarou a cura da audição do Nicollas.

Com duas semanas após esse diagnóstico o Nicollas começou a escutar durante o culto, o louvor e as pregações entusiasmadas do apóstolo não deixavam mais meu filho dormir. O Nicollas começou então a participar de todos os cultos e ele escuta tão bem que é difícil fazê-lo dormir porque qualquer ruído por menor que seja o acorda. ESSE FOI O SEGUNDO MILAGRE NA VIDA SO NICOLLAS.

Logo também percebemos que o Nicollas tinha um grave refluxo gastroesofágico. Continuamos orando e colocando ele no altar dos milagres todos os dias. E, apesar do refluxo, o Nicollas nunca, até hoje, teve nenhum problema de saúde, nenhuma febre, nenhuma doença em decorrência de suas doenças.

Continuei buscando a cura do seu problema cardíaco e da síndrome.

O tempo passava, ele crescia e se desenvolvia como uma criança normal. ESSE FOI OUTRO MILAGRE. Seu desenvolvimento é perfeito.

E durante todos os momentos de nossa vida a bispa e o apóstolo nos acompanharam, oraram com o Nicollas no altar e profetizavam a cura dele.

Todo apoio necessário para mim e para meu filho nós tivemos na Igreja Fonte da Vida. Quando precisamos, encontramos ajuda.

Com a ajuda de nossa igreja e de meus pais, processo fundamental nessa luta, comecei a ficar mais forte e consegui enfrentar tudo que estava vivendo.

Aos cinco meses de vida minha irmã que estava longe de nós há 3 anos, afastada, sem nos amar ou querer nossa presença descobriu o que eu estava passando. Ela foi conhece-lo e através do Nicollas ela voltou para o nosso convívio demonstrando amor, carinho e preocupação. O Nicollas uniu nossa família novamente. ESSE FOI OUTRO MILAGRE.

Aos seis meses descobrimos que a tetralogia de Falot se desenvolveu para Pentalogia de Falot. Agora eram cinco problemas em seu coração e a cirurgia dele estaria próxima. Como ele tinha dificuldades de ganhar peso, precisávamos que ele atingisse 6 Kg para que houvesse segurança na cirurgia. Oramos e ele conseguiu.

Estávamos orientados pelo nosso médico que nos aconselhou a mudar de plano de saúde para que tivéssemos mais chances de conseguir que o plano de saúde cobrisse os gastos que teríamos em São Paulo.

Deus mais uma vez nos abençoou e o plano de saúde comprou a carência do plano anterior. Iniciamos o processo de autorização para a cirurgia e precisávamos esperar por 30 dias para sair a autorização. Sua patologia era considerada de doença pré-existente e havia possibilidade de não ser autorizada.

A equipe médica escolhida por nosso médico foi a equipe do Dr. José Pedro da Silva, o doutor e criador da técnica utilizada no mundo inteiro para a correção desta patologia. Ocorre que ele não opera por plano de saúde e foi pedido R$ 100.000,00 para a realização da cirurgia. Não tínhamos dinheiro nenhum e oramos para que Deus escolhesse para nós o cirurgião que pudesse ser usado por Ele e que salvaria a vida do nosso filho.

Foi decidido, então, que a esposa do Dr. José Pedro seria a realizadora do procedimento cirúrgico, entregamos nas mãos do Senhor e pedimos que o melhor fosse feito pelo nosso filho.

Enquanto esperávamos a decisão do plano de saúde o Nicollas começou a ter crises de falta de oxigênio. Ele não poderia mais esperar. Fomos para São Paulo às pressas, mesmo sem a autorização do plano.

Ao chegar lá tivemos a notícia de que todos os procedimentos de internação, UTI, cirurgia e material cirúrgico foram autorizados pelo plano. ESSE FOI OUTRO MILAGRE.

Fomos então internados no Hospital beneficência Portuguesa em São Paulo.

Recebemos a visita do casal apostólico no hospital em que estávamos e o apóstolo me falou o milagre de estar naquele hospital de alto nível e que o Nicollas iria crescer, se desenvolver, correr e brincar.

Os exames pré-operatórios começaram a ser realizados e ao colher sangue para bolsa de sangue ele entrava em crise e o laboratório não conseguia retirar seu sangue.

No dia 27/10 ele foi para a UTI e o deixaram sedado para tentar colher o sangue. Ele entrou em crise por mais três vezes e não foi possível realizar a retirada do sangue.

A última opção foi leva-lo para a sala de cirurgia. Anestesiado, ele foi aberto, retiraram o seu sangue e eles ficaram lá esperando os resultados saírem para então começar a cirurgia.

O Nicollas foi conectado em uma máquina, seu coração foi retirado e colocado na mesa de cirurgia. Ele foi operado com seu coraçãozinho fora do seu corpo.

A cirurgia terminou e a notícia que tivemos é que ele estava muito bem, sem intercorrências e que continuando assim ele sairia da UTI em dois dias.

Recebemos também a notícia de que havia um outro problema sério em seu coração que não tinha sido visualizado em nenhum ecocardiograma. Havia uma veia atrás de seu coração, dobrada e com estenose importante. Não havia mais nela fluxo suficiente de sangue e oxigênio. O Nicollas poderia ter morrido a qualquer momento e nós nem saberíamos.

Temos certeza de que foi a mão do nosso Deus que segurou meu filho e não deixou que nada acontecesse a ele, e isso porque ele foi levado ao altar dos milagres durante toda semana de sua vida.

Os seis problemas foram corrigidos e a previsão de haver outra cirurgia no futuro é muito pequena.

No dia seguinte meu filho começou um processo de piora absurda. Teve febre, convulsões, queda de pressão arterial e inchaço. Ele não respirava sozinho e não voltava à consciência.

Começamos a nos desesperar e nossa família, pessoas que não víamos a muito tempo começou a orar por nós. Irmãos de Igrejas que não conhecíamos oraram por nós. Colegas de trabalho e amigos oraram por nós. A igreja de minha irmã jejuaram e oraram pela vida do Nicollas.

Nossa bispa me ligou e ela e o apóstolo oraram conosco determinando o sopro de vida para meu filho. Em seguida ela nos avisou que as Igrejas Fonte da Vida espalhadas pelo mundo estavam orando por nós. Os bispos e pastores de nossa sede estavam em jejum orando pelo Nicollas. O nome do meu filho foi para o santuário. O dokmos de nossa igreja, através de minhas sobrinhas Isabella e Rebecca jejuaram e oraram por nós.  Uma multidão de pessoas começaram a clamar a Deus.

No dia seguinte meu filho estava tão inchado que seu rosto ficou quadrado e emendou nos ombros. Seus rins pararam de funcionar. Seus pulmões pararam de funcionar. Recebemos a notícia de que seu caso era grave e que ele passaria por outro procedimento para colocação de dois drenos em seus pulmões para retirada de água e dois cateteres para realização de diálise. Deveríamos esperar por dias para ver a resposta de seu organismo.

Deus operou um milagre tão sobrenatural na vida do Nicollas que no mesmo dia, após seis horas da realização dos procedimentos, ele respondeu de forma positiva ao tratamento, desinchou e no mesmo dia seu quadro saiu de grave para estável.

No dia seguinte percebemos mais melhoras. E no outro ele respirava sozinho, seus pulmões voltaram a funcionar e seus rins voltaram a funcionar com a diálise.

Ele voltou á consciência, mamou em mim e com nove dias na UTI recebeu alta para o quarto.

Ainda em diálise ele obteve uma melhora tão espetacular que todos os médicos demonstravam admiração e surpresa.

Aos 25 dias de internação recebemos alta e voltamos para Goiânia, sem diálise e com seu coração funcionando de forma perfeita.

Meu filho voltou para casa vivo. Toda Honra e toda Glória sejam dadas ao nosso Senhor jesus Cristo!!!!

Quanto à Síndrome de Dow estarei lutando com todas as minhas forças para que ele seja curado e que os exames médicos comprovem essa cura. Enquanto isso já estamos vendo que ele é tão normal quanto todos as outras crianças.

Obrigada a todos que oraram por nós.

Obrigada a todos que nos paravam nos corredores da igreja e nos davam palavras de força e encorajamento.

Obrigada a meus pais que me ajudaram em todos os aspectos de minha vida e de meu filho. Sem eles eu não teria forças para suportar.

Obrigada à bispa e ao apóstolo que compraram nossa causa e nos apoiaram e nos ajudaram nos piores momentos de minha vida.

Obrigada à minha irmã Alessandra e suas filhas Isabella e Rebecca que me apoiaram, oraram por mim, me amaram e me ajudaram desde o primeiro dia do nascimento de meu filho.

Amo vocês e agradeço a Deus pela suas vidas.

Que Deus abençoe a todos!

Rubiana.

Os comentários estão desativados.